Notícias

HIGIENE NA INDUSTRIA ALIMENTAR

As boas práticas de limpeza e higienização são extremamente importantes na indústria de alimentos e bebidas, sendo uma parte crucial do ciclo de produção, podendo ter consequências devastadoras se não forem realizadas adequadamente. 

Os métodos de limpeza mudaram bastante no sector de processamento de alimentos e bebidas, que está cada vez mais focado na redução da contaminação cruzada, redução de bactérias e aumento da produtividade.

A ter em conta…

Cada processo e produção tem as suas especifidades, e por isso é fundamental ter uma noção exacta, por exemplo, das características do espaço de processamento, assim como que tipo de instrumentos são manuseados: são de aço inoxidável, de plástico ou de metais macios? Qual é a dureza da água usada para limpar? Questões como estas podem fazer toda a diferença, no momento da escolha de um detergente adequado. 

Outro factor crítico pode ser caso se trate de limpeza húmida ou lavagem a seco, já que existem alguns equipamentos de processamento que não devem ser molhados, podendo levar a falhas de máquinas e a formação de ferrugem.

Existem variáveis ​​dentro do processo de limpeza que podem afectar a remoção de resíduos:

  • Detergente e sua concentração; 
  • Tempo de actuação adequado; 
  • Temperatura, já que alguns desinfectantes podem não ser tão eficazes em ambientes frios; 
  • Acção física, já que ao seleccionar um desinfectante por exemplo, é importante observar também sua toxicidade, restos de resíduos e o impacto da dureza da água. 

Os produtos químicos usados ​​para limpar e desinfectar dependem muito do tipo de produto que está a ser produzido e do ambiente de produção.

Limpeza vs desinfecção

Vale a pena notar que a limpeza e a desinfecção são duas coisas diferentes. Limpeza eficaz é a remoção completa de resíduos das superfícies, deixando-os limpos para que a segunda fase possa ser também eficiente: a desinfecção. 

As superfícies podem estar limpas, mas os microrganismos permanecem, daí a importância do uso de desinfectantes, que reduzem os microrganismos a níveis aceitáveis ​​para a produção de alimentos, para que não representem uma ameaça à saúde.

Diferentes tipos de resíduos alimentares

Para fazer uma limpeza eficaz e completa, o primeiro passo é entender que tipo de sujidade ou resíduos é que precisam ser eliminados, podendo estes ser de natureza orgânica ou inorgânica.

Os resíduos mais comuns (açúcar, amido e celulose) são os mais fáceis de remover, mas proteínas como carne, leite e ovos são das mais difíceis porque mudanças na temperatura e no pH alteram a estrutura da proteína, aumentando sua tenacidade e muitas vezes deixando-as insolúveis.

Os resíduos gordurosos não são solúveis em água e representam sempre um grande desafio, onde é necessário usar produtos de limpeza alcalinos com altas temperaturas acima do ponto de fusão.

Os sais minerais, os resíduos inorgânicos dos alimentos, levam à formação de incrustações no equipamento, sendo necessários produtos de limpeza ácidos para removê-los com eficiência.

O processo de limpeza mais usual será: enxaguar os detritos, limpar com detergente, enxaguar novamente e desinfectar a superfície ‘limpa’ usando um desinfectante específico e aprovado. 

Recordamos que todos os utensílios e itens que entram em contacto com os alimentos aquando da sua produção, devem ser efectivamente limpos e higienizados, de modo a garantir que as instalações e os equipamentos sejam mantidos em boas condições sanitárias. Para conhecer os produtos mais adequados a cada uma das fases e a cada tipo de utensílio, consulte AQUI a nossa gama.

HIGIENE NA INDUSTRIA ALIMENTAR