Notícias

O que é afinal a sujidade?

Falamos muitas vezes em limpeza de sujidade, na melhor forma ou melhores produtos para terminar com esta, mas nem sempre estamos alinhados com o que significa este conceito básico: o que é afinal a sujidade?

Primeiro que tudo há que perceber que a origem da sujidade está na natureza, e nos seus processos evolutivos.

No âmbito do reino animal, a evolução das actividades humanas determinou uma produção de sujidade “composta” que se divide em:

Inquinamento atmosférico (smog): devido à combustão, sobreaquecimento, às actividades de fabrico, ao transporte por estrada, seja na forma de emissões de gás de descargas, seja na forma de pulverização da parte superficial dos pneus dos meios de transporte, devida ao atrito com a estrada.

Resíduos industriais: que são o produto da transformação industrial (sucata, resíduos de produção, lama, restos de petróleo, etc.).

Resíduos domésticos: todos aqueles que são “produzidos” nas nossas casas (roupas, embalagens dos móveis, electrodomésticos, etc.).

Para fins de actividade de limpeza considera-se sujidade tudo aquilo que não está no seu lugar, encontra-se sobre as superfícies e sobre os objectos contaminando-os tal como contamina e degrada o ambiente. Deve ser removida com os devidos cuidados.

Existem vários tipos de sujidade:

  1. SUJIDADE LIVRE

A sujidade livre é constituída por todos os tipos de resíduos que apenas estão sobre uma superfície e não aderem a esta superfície.

Esta pode ser:

Sujidade grosseira: pedras, areia, beatas, papeis, invólucros de doces, resíduos de transformação, resíduos de tecidos, madeira, metálicos, plásticos etc.

Sujidade fina: pós de vários tipos e de diversas origens que se deposita sobre as superfícies.

Falando especificamente do pó, podemos dizer que este está presente no ar de qualquer ambiente mesmo que não seja visível a olho nu, e trata-se de matéria subdividida em pequeníssimas partículas de diâmetro compreendidas indicativamente entre 0,25 e 500 μm (1 μm = 1 milésimo demillimetro = 1 micron).

O pó fino é invisível quando disperso no ar e torna-se somente visível quando se acumula e se deposita.

  1. SUJIDADE ADERENTE

A sujidade aderente é toda aquela que se cola à superfície, e pode ser:

Sujidade fina: é a sujidade composta por lama (pó + água), bebidas (açúcar + água), e por tudo aquilo que se pode remover com água.

Sujidade grossa: são as gorduras, sujidade composta por pó e óleos e/ou gordura mineral vegetal, animal.

Sujidade orgânica: gordura, dejectos, sangue, vómito, etc.

Sujidade calcária: é a sujidade causada principalmente pela dureza da água. Os sais de magnésio, de cálcio e também de sílica presentes na água que se precipitam quando a água se evapora e dão lugar a incrustações esbranquiçadas ou amareladas se estivermos em presença também de sais de ferro (incrustações nos lava loiças, torneiras, nas casas de banho, em alguns tipos de pavimento, etc.).

Existem as sujidades particularmente aderentes tais como as pastilhas elásticas, alcatrão, ferrugem, grafitis. Todas estas exigem cuidados ainda mais específicos para a sua limpeza, pela dificuldade que implicam.

  1. SUJIDADE INVISIVEL DOS MICRO-ORGANISMOS

É a sujidade formada por protozoários, fungos, bactérias e vírus, que são micro-organismos vivos que não são visíveis a olho nu, mas que contaminam as superfícies e o ar e devem ser removidas uma vez que resultam particularmente danosas e portadoras de doenças.

Mesmo as superfícies aparentemente limpas podem estar contaminadas por sujidade invisível.

Protozoários

Os protozoários são organismos unicelulares e povoam em número indeterminado os mares, água salubre e doce, os terrenos húmidos. Enraízam-se e difundem-se rapidamente em toda a parte, sobretudo em materiais em decomposição. São frequentemente parasitas de outros organismos vegetais e animais.

Fungos

Os fungos podem provocar infecções que são particularmente frequentes nas piscinas, escolas e também em hospitais sobretudo nas áreas, como vestiários e chuveiros, onde os fungos encontram condições óptimas para proliferar (quente e húmido) e onde se pode verificar o contacto directo fungo-pele, provocando micoses.

As superfícies que são contaminadas mais frequentemente pelos fungos são os estrados de madeira dos chuveiros, os tapetes e os corredores.

Bactérias

Também chamadas “germes”, são microorganismos patogénicos que vivem normalmente no solo, na água e no corpo do Homem e dos animais. Reproduzem-se sozinhas muito rapidamente, sendo que fim de 10 horas uma bactéria poderá ter dado origem a um milhar de outras bactérias.

Vírus

São agentes infecciosos de composição simples que se podem multiplicar apenas em células vivas dos animais, plantas e bactérias. Ao contrário das bactérias, estes são sempre nocivos para as células que os hospedam. Causam alterações e infecções dos tecidos e dos órgãos onde se inserem.

Já tinha pensado em tudo isto cada vez que tem que garantir a limpeza do seu espaço comercial ou as instalações do seu negócio?

É fundamental avaliar que tipo de sujidade está presente, para se avaliar quais as melhores soluções para a sua limpeza. Se precisar de ajuda, não hesite, os comerciais da JMCS têm a formação certa para o ajudar e os nossos produtos adaptam-se às necessidades de cada negócio!

O que é afinal a sujidade?